“Você crê na existência de um semi-mundo? Um meio mundo entre o que sabemos e o que tememos, que não pode ser visto nem ouvido, mas profundamente sentido!” – Penny Dreadful

Essa é uma citação que descreve o clima sombrio da aclamada série Penny Dreadful, criada pelo diretor John Logan (Gladiador) e produzida por Sam Mendes (007 Skyfall). É uma série densa, com muita poesia, sedução e horror sobrenatural, mostrando o lado mais decadente do ser humano, misturando de forma literária a linha que separa o homem do seu demônio interior junto ao terror sobrenatural e psicossexual. Penny Dreadful é chamado assim por ser baseado em contos publicados na Inglaterra do século XIX  para a população mais pobre, o termo significa “contos de terror por um centavo”.

As histórias eram repletas de sensualidade, sangue e sensacionalismo para atrair a atenção do povo que sofria com os problemas socioeconômicos da época. Assim, além de muita poesia clássica, o criador John Logan se inspirou nesses contos para dar vida ao show de TV junto a um elenco caro e fantástico: Timothy Dalton (007), Eva Green (300 – A Ascensão do Império), Rory Kinnear (Skyfall), Reeve Carney (A Tempestade), Harry Treadaway (Cidade das Sombras), Billie Piper (Dr. Who), Josh Hartnett (Pearl Harbor) e Dani Sapani (Enigmas de Um Crime). Confira abaixo os motivos pelos quais ele vale uma maratona.

penny-dreadful-capa

Não saia sem ler:

Na cruel e sombria Londres Vitoriana…

Ambientada no final do século XIX, a protagonista da série é Vanessa Ives, interpretada por Eva Greenuma jovem médium que é assistente de Sir Malcolm Murray, um milionário explorador que teve sua filha, Mina Hacker, sequestrada por uma criatura da escuridão. Os protagonistas contam com a ajuda de Ethan Chandler (Josh Harnett), misterioso atirador circense que acaba se envolvendo na trama por necessidade e auxilia ambos à caça pelas criaturas com o objetivo de encontrar a jovem Mina. Para dar mais sabor às histórias, personagens famosos da literatura gótica como Dorian Gray, Victor Frankenstein e suas criaturas Proteus e Caliban marcam presença, mas não são os únicos seres clássicos do terror britânico a darem as caras.

A trama é cheia de profundidade e foco nas questões humanas, criticando as várias formas que preconceitos e opressões que tomam forma na sociedade, sobretudo machismo e homofobia. Muitos outros elementos e problemas da sociedade são mostrados de forma poética, usando o pano de fundo do terror sobrenatural. Fotografia, figurino e cenário são shows à parte, imergindo o espectador para dentro do ambiente vitoriano. Algumas das músicas da trilha sonora da série são inspiradas nos filmes clássicos como O Retrato de Dorian Gray, Dracula de Bram Stocker e Frankenstein de Mary Shelley. Precisamos dizer que estamos lidando com uma trilha sonora fantástica.

Os elementos poéticos estão distribuídos em quase todas as partes que constituem a série. São nos diálogos que encontramos os momentos mais sublimes do enredo, sem exageros ou “forçação de barra” para constar os versos. Recomendo a série para quem curte RPG e aprecia a boa e velha poesia clássica com o sobrenatural, sensualidade e cenas de possessão perfeitas interpretadas pela magnífica Eva Green. A primeira temporada de Penny Dreadful foi lançada em 2014 e é composta por 8 episódios, apresentando os personagens principais que estão em busca da filha desaparecida de Sir Malcolm, a segunda temporada possui 10 episódios e a terceira finaliza a série com 9 episódios.

penny-dreadful

Penny Dreadful: Referências feitas para os fãs das obras clássicas de terror

Para quem leu Drácula de Bram Stocker ou outras obras vampirescas, Mina Hacker é a conhecida Noiva de Drácula que o monstro se apaixona por ela e vice-versa. Juntam-se Sir Malcolm, Vanessa Ives, Ethan Chandler, Sembenne (mordomo de Sir Malcolm) e o próprio Dr. Victor Frankenstein. Esse é mais um elemento muito interessante do show: mistura os personagens sem forçar muito a barra para eles se relacionarem. As três temporadas da série me inspiraram a criar uma adaptação do show para o sistema de RPG Storytelling, também conhecido como Novo Mundo das Trevas, que pode conferir o resultado nesse texto. E você? Já assistiu Penny Dreadful? Ficou curioso para ver essa obra do terror? Assista e nos conte o que achou!

http://hobbismo.com.br/wp-content/uploads/2017/04/penny-dreadful-capa-1024x768.jpghttp://hobbismo.com.br/wp-content/uploads/2017/04/penny-dreadful-capa-150x150.jpgRick ValerioDiversosRPGSliderDiversos,RPG'Você crê na existência de um semi-mundo? Um meio mundo entre o que sabemos e o que tememos, que não pode ser visto nem ouvido, mas profundamente sentido!' - Penny Dreadful Essa é uma citação que descreve o clima sombrio da aclamada série Penny Dreadful, criada pelo diretor John Logan (Gladiador) e...Uma fonte, muito conteúdo