O Nintendo Switch já possui uma biblioteca invejável em pouco mais de um ano de vida. São centenas de bons games que conseguem agradar todos os tipos de pessoas. No Heroes Here, da produtora brasileira Mad Mimic, não é só mais uma adição para o console, mas sim um empolgante multiplayer de sofá que faz jus à época dos 16 bit com muita risada e empolgação.

Com uma história propositalmente bobinha, na qual todos os heróis de um reino foram derrotados pelos inimigos, cabe às pessoas comuns assumirem o manto e protegerem os castelos e a si mesmos de ataques frequentes e perigosos. A disputa é unicamente entre os jogadores e o exército do mal, ou seja, No Heroes Here exige fortes amizades.

Bora pro sofá!

Planejado como um game cooperativo onde a comunicação é elemento chave para a vitória, No Heroes Here mistura elementos de tower defense com produção de itens e ainda partes em plataforma que necessitam de precisão para quem estiver segurando o Joy Con ou qualquer outro controle. Para tudo isso, a jogabilidade precisa ser no mínimo perfeita, o que ocorre em grande parte da jogatina. Porém, há momentos onde há sensibilidade em demasia, fazendo com que erros básicos sejam cometidos nos momentos de maior tensão.

Tensão, inclusive, é um sentimento que você terá bastante em cada uma das mais de 50 fases do game. É claro que no começo tudo são cogumelos vermelhos. Os oponentes que tentam invadir o seu castelo são poucos, fracos e lentos, fazendo com que um curto planejamento de fazer bala de canhão e pólvora seja o suficiente para dominá-los.

Em pouco tempo, a dificuldade sobe fortemente, oferecendo cada vez mais uma maior quantidade de invasores e um posicionamento questionável das ferramentas de produção de itens. Logo, a gritaria passa a rolar solta dentro das quatro paredes, com cada jogador exclamando o que deve ser feito e o que fez de errado. Uma verdadeira farra.

A versão de Switch oferece a opção para até quatro jogadores. Com apenas um console e um par de Joy Cons, No Heroes Here já vira uma loucura, mas é claro que o ideal é juntar toda a galera e salvar o reino em conjunto. Há também a opção de jogatina online e a de campanha solo, porém nenhuma delas consegue substituir a brincadeira no sofá, algo que aprovo imensamente.

no-heroes-here

Carisma e estilo

Os gráficos são todos pixelados, com aquela cara de 8 bit. Os personagens são pequenos na tela para dar ênfase ao castelo, itens de produção e inimigos. Mesmo assim, há carisma o suficiente em cada um deles, desde a cigana até o padre, fazendo com que qualquer pessoa arranje seu favorito em questão de minutos. Infelizmente, não há nenhuma diferença de habilidades entre os personagens em No Heroes Here, o que é uma pena, pois sinto que foi uma oportunidade desperdiçada pela equipe da Mad Mimic.

Toda a trilha sonora é gostosa de ouvir, um material que facilmente estaria em alguma playlist minha. As misturas de músicas erudita e medieval dão o tom, mas vários outros estilos podem ser ouvidos em meio à bagunça do game. Os efeitos sonoros como tiros de canhão e mel grudando nos inimigos também foram bem produzidos, dando um toque de humor permanente à aventura.

no-heroes-here-switch

Amigos e guerra

Há muitos games multiplayer por aí, mas a maioria é focada na competição, como vemos em Splatoon 2 e Pokkén Tournament. No Heroes Here decide ir pelo caminho de Overcooked e outros jogos cooperativos, focando na experiência cooperativa e insana. É o tipo de jogo que precisa estar no Switch de qualquer um, pois traz uma variação das brincadeiras em grupo e não é só de Fifa que as festas vivem.

Quando jogado entre duas ou até quatro pessoas, o game é uma diversão incrível. Nenhuma derrota passa a ser definitiva, pois a sensação de que algo foi aprendido é constante, e aí a nova tentativa logo após um novo planejamento acaba nos deixando mais próximos da vitória, e quando ela chega é só alegria. Uma dica: converse o muito com seus parceiros de jogatina, isso lhes trará o triunfo.

no-heroes-here-cooperacao

Leia mais sobre games no Hobbismo:

 Veredito – O diferencial de No Heroes Here

Apenas a possibilidade de se divertir com os amigos no sofá já seria o suficiente para aprovar o game da Mad Mimic. A produtora fez algo maravilhoso: trouxe uma verdadeira diversão como nos velhos tempos de Streets of Rage e Tartarugas Ninjas, onde combinávamos com os amigos quem ficava em qual parte do cenário para garantir o êxito. Com tudo isso, os momentos gostosos de risadas e desafios estão garantidos.

Obviamente não consigo recomendar o título para quem for jogar sozinho ou vai depender do online, pois por não possuir um sistema competente de conversas em tempo real, a versão de Switch vai sempre deixar a desejar neste quesito. Junte a galera, separe os Joy Cons, garanta os salgadinhos e salve o reino de Noobland!

no-heroes-here-capa

No Heroes Here está disponível para Nintendo Switch, Playstation 4 e PC, com uma versão para Xbox One ainda sem data de lançamento. O Hobbismo testou a versão para Switch através de cópia gentilmente cedida pela Mad Mimic Interactive.

http://hobbismo.com.br/wp-content/uploads/2018/06/04-1-1024x576.jpghttp://hobbismo.com.br/wp-content/uploads/2018/06/04-1-150x150.jpgRicardo SyoziGamesAnálise,Nintendo Switch,No Heroes HereO Nintendo Switch já possui uma biblioteca invejável em pouco mais de um ano de vida. São centenas de bons games que conseguem agradar todos os tipos de pessoas. No Heroes Here, da produtora brasileira Mad Mimic, não é só mais uma adição para o console, mas sim um...Tudo sobre seus hobbies em um só lugar!