Os mangás Clamp são feitos por um grupo de mangakás (desenhistas de mangá) muito famoso em várias partes do mundo. As autoras do grupo são conhecidas pelo traço caprichoso e rebuscado em muitos de seus mangás, bem como pelos animes adaptados e exibidos nas telas brasileiras, como Guerreiras Mágicas de Rayearth, Sakura Card Captors, XXXholic, Angelic Layer entre outros.

mangas-clamp

Os mangás do Clamp são atualmente produzidos por quatro mulheres, que usam os seguintes codinomes: Ageha Okawa, Satsuki Igarashi, Tsubaki Nekoi e Mokona (sim, é a própria mangaká que criou o famoso bichinho branco que fala “Pupu” em Guerreiras Mágicas de Rayearth). Originado no final dos anos 80, o grupo contava com onze membros, foi nessa época que lançaram o mangá RG Veda, que conta a história de Ashura e sua busca pelos seus guardiões, as seis estrelas destinadas à lutar contra o tirano imperador Taishaku Ten, usando como base a mitologia hindu.

Guerreiras Mágicas de Rayearth: Mangás Clamp invadindo a TV brasileira

O quarteto se tornou oficial no início dos anos 90, que continuam lançando trabalhos magníficos até hoje. Alguns dos mangás que foram adaptados para animes se tornaram bastante conhecidos no Brasil, especialmente Guerreiras Mágicas de Rayearth, o primeiro a chegar em terras tupiniquins. Este conta a história de 3 garotas: Hikaru (Lucy), Umi (Marine) e Fuu (Anne), três estudantes do ginásio que até então não se conheciam. Ao irem a um passeio na Torre de Tóquio, foram ofuscadas por uma luz forte e convocadas pela Princesa Esmeralda do mundo místico chamado Cephiro (Zephyr) e salvá-lo da destruição.

mangas-clamp-rayearth

Para cumprir essa missão, elas ganham poderes e armas especiais com a ajuda do Guru Cleph, grão-mestre de magia do mundo para que consigam cumprir seu destino. Um dos aspectos mais fascinantes de Guerreiras Mágicas de Rayearth são as surpreendentes reviravoltas da história. A segunda fase é conhecida como Rayearth 2 e conta o retorno das 3 personagens ao mundo mágico para uma nova aventura.

Sakura Card Captors: Segunda e mais famosa adaptação dos mangás Clamp

O segundo anime a ser exibido nos canais por assinatura e nas manhãs da Globo na TV aberta foi Sakura Card Captors, que sofreu alguns cortes em sua chegada. Ele conta a história de uma menina de 10 anos chamada Sakura Kinomoto que encontra um livro misterioso que guarda cartas mágicas. Por acidente, as cartas se espalham por toda Tóquio e cabe à menina a tarefa de juntá-las, enfrentando vários desafios e se tornando a caçadora de cartas Clow.

A jovem e inocente Sakura é auxiliada pelo bichinho guardião Kerberus e sua melhor amiga Tomoyo Daidoji. Após um tempo, surgem outros carismáticos personagens revelados durante a trama leve e divertida desse anime. Quem aí ainda lembra do mala do Syaoran?

mangas-clamp-sakura

Polêmicas nas obras do Clamp

Um dos maiores atrativos dos mangás Clamp são os traços muito bonitos, especialmente dos clássicos das artistas. Cheios de detalhes, dão a impressão de estar presenciando um sonho. Outro ponto é que elas sempre mexem com temas diversos, pondo em cheque alguns dos mais conservadores fãs de mangá, como homossexualidade, pedofilia e romances entre robôs e humanos, entre outros. Isso desde o início dos anos 90, bem antes desses temas serem debatidos mais abertamente.

Vemos esses exemplos em Tokyo Babylon – o relacionamento entre os protagonistas Subaru Sumeragi e Seishirou Sakurazuka -, Guerreiras Mágicas de Rayearth, com Eagle Vision e sua paixão secreta por Lantis e o comandante Geo Metro com sua devoção amorosa pelo chefe na segunda fase de Rayearth. Também vemos esses temas sendo tratados em Sakura Card Captors, como o amor não correspondido de Sakura por Yukito, amigo do irmão mais velho da card captor.

mangas-clamp-yukito

Inclusive, as “paixonites” são bastante presentes no anime, com Li Syaoran também chegando a se apaixonar por Yukito – apesar da explicação “mágica” para tal sentimento -, além de Tomoyo que é apaixonada por Sakura e o professor Terada, professor de uma turma de crianças de 10 anos, mas que mantem um relacionamento secreto com uma das alunas da turma de Sakura. Sim, muitas polêmicas nos mangás do grupo e acho muito relevantes tais discussões.

Shoujo ou Shonen?

Já não cabe mais essa discussão no estilo dos mangás Clamp. Seus trabalhos alcançam variados estilos, não sendo necessariamente voltado para o público feminino, como eram conhecidas há alguns anos. Há trabalhos das artistas voltadas para o público masculino como Angelic Layer, mangá de luta entre bonecos estilo Pokémon, XXXholic, por exemplo. O que importa é que tem história, magia, polêmicas e aventuras feitas pela criatividade das mulheres do Clamp para todos os gostos. Escolha o seu e aproveite!

Leia também:

http://hobbismo.com.br/wp-content/uploads/2017/08/mangas-clamp-sakura.jpghttp://hobbismo.com.br/wp-content/uploads/2017/08/mangas-clamp-sakura-150x150.jpgRick ValerioComicComic,MangásOs mangás Clamp são feitos por um grupo de mangakás (desenhistas de mangá) muito famoso em várias partes do mundo. As autoras do grupo são conhecidas pelo traço caprichoso e rebuscado em muitos de seus mangás, bem como pelos animes adaptados e exibidos nas telas brasileiras, como Guerreiras Mágicas...Tudo sobre seus hobbies em um só lugar!