Muita gente reclama que super heróis são coisa de criança que histórias em quadrinhos são bobas e tal. Concordando ou não com isso temos que admitir que quadrinhos sempre está ligado a superseres que usam cuecas por cima da calça. Mas felizmente quadrinhos não é só isso, então vamos te apresentar sete HQs pra quem não gosta de super heróis, provando o quanto o mundo dos quadrinhos pode ser vasto e muito além das capas e máscaras.

Vampiro Americano

vampiro americano

Roteiro e Arte: Scott Snyder e Rafael Albuquerque

Sinopse: Astuto, cruel e traiçoeiro, Skinner Sweet tem a fama de ser tão obstinado quanto genioso. Mas, como primeiro vampiro surgido nos Estados Unidos, ele não é a típica criatura da noite. Mais forte, mais feroz, e retirando energia do sol, Sweet é o primeiro de uma nova espécie de sanguessuga.

Porque indicamos:  Scott Snyder manda muito bem nessa história, se desvinculando dos vampiros de Anne Rice ou Crepúsculo. Ele cria um mundo onde vampiros são caçadores sedentos no velho oeste americano. Uma das histórias contadas na HQ foi escrita por ninguém menos que Stephen King.

Situação atual: lançado pela Panini já está no quarto volume.

Daytripper

Daytripper2

Roteiro e Arte: Fábio Moon e Gabriel Bá

Sinopse: Brás de de Oliva Domingos é o milagroso filho de um mundialmente famoso escritor brasileiro. Brás passa os dias escrevendo obituários e as noites sonhando em se tornar um autor de sucesso – ele escreve o fim da história de outras pessoas, enquanto a sua própria mal começou. Mas, no dia que sua vida começar, ele será capaz de perceber?

Porque indicamos: Daytripper é o tipo de graphic novel que todos devem ler. A narrativa que Fábio Moon e Gabriel Bá leva você a se questionar se faria as mesmas escolhas do personagem e lidar com as consequências delas. Uma historia que te prende do inicio ao fim, sem ser previsível ou monótona.

Dados: Lançada pela Panini.

Bando de Dois

Bando-de-Dois

Roteiro e Arte: Danilo Beyruth

Sinopse: Bando de Dois te leva para o cangaço brasileiro no clima dos faroestes italianos, resgatando a aventura nas HQs do nosso país. Na história, dois sobreviventes de um bando de vinte cangaceiros partem em busca das cabeças decepadas de seus companheiros, preparados para enfrentar um exército. Cada um com seus próprios motivos.

Porque indicamos: Se o fato de citar Sergio Leone não for motivo o suficiente, a ambientação no cangaço brasileiro vai. Como poucas obras trazem uma história tão boa se passando em um cenário tão rico, mas pouco explorado. Danilo Beyruth manda muito bem em contar uma história de vingança e companheirismo no sertão do Brasil.

Dados: lançado pela editora Zarabatana, disponível no Social Comics com edição física na Amazon.

Azul a cor mais quente

azul-a-cor-mais-quente-quadrinhos-critica

Roteiro e Arte: Julie Maroh

Sinopse: O livro conta a história de Clementine, uma jovem de 15 anos que descobre o amor ao conhecer Emma, uma garota de cabelos azuis. Através de textos do diário de Clementine, o leitor acompanha o primeiro encontro das duas e caminha entre as descobertas, tristezas e maravilhas que essa relação pode trazer.

Porque indicamos: Azul a Cor mais Quente foi uma agradável surpresa quando comecei a ler. A história se trata de uma historia de amor, com seus altos e baixos. Com idas e vindas. Ao lado de Clementine você vai se emocionar, ficar com raiva, amar, temer, chorar, uma mistura de emoções que impede o leitor de ficar indiferente no desenrolar da historia. Caso esteja se perguntando, a HQ é bem diferente do filme.

Dados: Lançada pela Martins Fontes em 2103

Rat Queens

ratqueen

Roteiro e Arte: Kurtis J. Wiebe e Roc Upchurc

Sinopse: Rat Queens conta as desventuras de um grupo de quatro mercenárias insólitas, Violet, anã guerreira que quebrou tabus do seu clã; Hannah, elfa maga com uma tendência a arroubos de violência e palavreado pesado; Betty, ladra com tendências hippies viciada em doces, bebidas e festas; e Dee, clériga humana cujos pais cultuam um deus-polvo voador de outra dimensão – qualquer semelhança com Cthulhu pode ou não ser mera coincidência. Juntas, elas arranjam os piores trabalhos e missões do mundo, dando uma nova visão para o gênero de fantasia e uma das HQs pra quem não gosta de super heróis mas que não deixa de ter certa magia.

Porque indicamos: Se curte RPG, historias de fantasia medieval e uma boa comédia não pode perder esse título. Rat Queens trás todos esses elementos e ainda apresenta personagem mega cativantes que fogem do estereótipo de personagens femininas encontradas por aí. Pegue a sua taça de doce e bebidas e divirta-se,

Dados: Lançado pela editora Jambô em 2016 já com dois volumes. Clique no link para adquirir o volume 1!

321 Fast Comics

321__fast_comics_variant_cover_by_felipecagno-d7uamld

Roteiro e Arte: Vários artistas. Projeto criado por Felipe Cagno

Sinopse: A série 321: Fast Comics reúne histórias nos mais variados gêneros, que vão desde a fantasia ao steampunk, do faroeste à ficção científica, do cotidiano aos dinossauros, aventuras e muito mais.

Porque indicamos: Você é levado aos mais variáveis cenários e situações de modo rápido simples, ficando com aquele gosto de quero mais. O projeto criado por Felipe Cagno reuniu um número impressionante de artistas e roteiristas nacionais em histórias curtas e mirabolantes. Uma de suas histórias, A Ruiva, começou no 321 e hoje tem uma série própria.

Dados: Pode ser encontrado no Social Comics.

Maus – A História de um sobrevivente

maus

Roteiro e Arte: Art Spiegelman

Sinopse: Maus (“rato”, em alemão) é a história de Vladek Spiegelman, judeu polonês que sobreviveu ao campo de concentração de Auschwitz, narrada por ele próprio ao filho Art.

Porque indicamos:  Maus é o que pode se chamar de clássico moderno dos quadrinhos. A história foi a primeira no formato de quadrinhos a ganhar o Pulitzer , provando que os quadrinhos também são ótimas maneiras de contar histórias.

Ambientada na Segunda Grande Guerra, ela conta a história de sobreviventes dos campos de concentração de Auschwitz, usando animais como personagem a fim de amenizar um pouco a violência da narrativa. O criador relata a vida do próprio pai, da sua juventude até ser preso no campo de concentração. Maus é uma leitura mais que recomendada pra qualquer pessoa que tem interesse nesse período histórico. Uma das HQs pra quem não gosta de super heróis que mais se afastam desse tema.

Como adquirir: Maus pode ser adquirido em livrarias e na loja virtual da Amazon.

Conhece outras HQs pra quem não gosta de super heróis?

Então com essa seleção, esperamos que vocês aproveitem. Quer recomendar outras HQs pra quem não gosta de super heróis? Então comente conosco e faça sua recomendação em nossa seção de comentários!

Veja também:

http://hobbismo.com.br/wp-content/uploads/2016/04/vampiro-americano.jpghttp://hobbismo.com.br/wp-content/uploads/2016/04/vampiro-americano-150x150.jpgAlex CarvalhoComicSliderComicsMuita gente reclama que super heróis são coisa de criança que histórias em quadrinhos são bobas e tal. Concordando ou não com isso temos que admitir que quadrinhos sempre está ligado a superseres que usam cuecas por cima da calça. Mas felizmente quadrinhos não é só isso, então vamos te...Uma fonte, muito conteúdo